há poemas que não rimam

no tecto, no chão, nos becos sem saída e nas chamadas perdidas.
aparece pelo correio, debaixo do tapete e nos intercomunicadores das portas.
é surpresa na porta do frigorífico e na lista semanal de compras.
tem sempre destinatário, mesmo que não se conheça o remetente.

é minha, para mim.
é tua de ti para mim. e de mim para ti.

é prosa também,
são letras e palavras como a palavra “palavra”
desejos como a palavra “quero-te”.
guardam-se.
são memórias, incompletas ou distorcidas.
são gritos!

é de todos e está em toda a parte.

é poesia, hoje!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s